top of page

Composição Corporal e seu Valor



Quando pensamos em mudança na composição corporal, há duas perspectivas possíveis. Uma é a mais vendável, e a outra é a que faz a pessoa que atingiu a evolução manter-se aderente e disciplinada no futuro.


Há pessoas que enxergam a mudança na composição corporal sob a perspectiva UTILITÁRIA, para terceiros. Ou seja, reduzir o percentual de gordura é um meio para atingir o FIM de atrair olhares de outras pessoas, ampliar status, aumentar número de curtidas, mostrar superação. Essa visão utilitária muitas vezes usa do meio estético para escamotear problemas pessoais e de autoestima que não serão resolvidos, apenas jogados pra baixo do tapete.


A outra perspectiva é baseada no VALOR que a perda de gordura gera para a pessoa no seu dia a dia. É o valor intrínseco. Um menor percentual de gordura acompanhado de ganho de força permite às pessoas saírem rapidamente do carro, carregarem compras e objetos, reduzirem marcadores inflamatórios, além de permitir melhor locomoção.


Não apenas ajuda nessas tarefas físicas, como também promove ganhos de qualidade de vida pelo aspecto psicológico: uma pessoa seca possui, normalmente, maior sensibilidade à insulina e à leptina. Isso significa que ela, seguindo uma dieta equilibrada, é menos propensa a ter alguns surtos de ansiedade querendo devorar tudo que vê pela frente que nem uma jamanta.


O problema do obeso muitas vezes não é o mal-estar do outro olhando-o como enorme e/ou feio, afinal tem gente que realmente não liga muito para isso. Às vezes, o maior problema do obeso são justamente essas crises de ansiedade seguidas de comilança desenfreada e culpa.

Melhora de composição corporal é importante para a estética (para os outros) e saúde/produtividade (para si). Se você tem melhor saúde, você estudará mais (mais dopamina), trabalhará mais, e isso promoverá enriquecimento em outras áreas da vida.


Não há NADA de errado em treinar pensando em agradar o outro visualmente, isso é ÓTIMO! Mostra que há preocupação com a visão dos demais e a pessoa não é completamente centrada em si. Contudo, há uma clara hierarquia entre os dois: se a perda de gordura for em detrimento do bem-estar (dietas extremamente radicais, por exemplo), não valerá a pena.


Os dois fatores servem de motivação e devem ser explorados. O que não podemos é reduzir o que o treinamento físico tem a oferecer a meras curtidas e seguidores, afinal, o potencial de ganho de um treino bem estruturado engloba maior autonomia e saúde mental.



51 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page